Uma receita de mac&cheese para o coração de mãe

Receita de mac&cheeseCoração de mãe é um órgão diferente. Mesmo tendo os tradicionais 340 gramas de peso, dois átrios e dois ventrículos, bata cerca de 80 vezes por minuto e bombeie mais de 9 mil litros de sangue* por dia como o coração masculino, coração de mãe é diferente.

Ele sente.

Sente tanto que esse sentir fecha a traqueia, embrulha o estômago, aperta as costelas, espreme água que sai pelos olhos em forma de lágrimas.

Coração de mãe dói sem estar enfartando.

Dói de felicidade. Dói de tristeza. Dói de angústia. Dói de ansiedade. Dói de amor. Dói de saudade, seja dos tempos que o filho era bebê, mas mora com você, seja porque ele não é mais bebê e mora em outro continente.

Dói quando filho nasce. Quando mama. Quando sente as primeiras dores da cólica, quando anda pela primeira vez, quando fala pela primeira vez, quando come sozinho.

Dói quando filho vai para escola pela primeira vez e chora porque não quer ficar sozinho. Também dói quando filho vai, pela primeira vez, e dá tchau para mãe, sem chorar.

Dói quando filho sai da infância, entra no ensino fundamental e vai viajar com a escola pela primeira vez e você não vai junto.

Dói quando ele vai dormir na casa do amigo. Quando vai viajar com os avós e você fica.

Dói quando ele vai viajar para disputar campeonatos, dá zica no avião, a rota muda totalmente e você não está lá. Dói tanto que provoca até diarréia.

Dói quando o filho tem algo diferente, foge do script e nenhum especialista fecha o diagnóstico. Ninguém sabe ao certo qual o “problema” do seu filho. Nem mesmo você.

Coração de mãe dói porque é um órgão diferente.

Dói quando filho passa de ano – sem ou com recuperação.

Dói quando ganha campeonato ou quando namora pela primeira vez.

O meu tem doído, todos os dias, por algo banal, para os outros. Todo dia quando deixo meu filho na porta do metrô para ir para escola, que é logo ali perto de mim, o coração dói tanto que embrulha o estômago.

Nem quero imaginar como meu coração vai doer no dia que tiver de deixar meu filho no aeroporto, para ele ganhar o mundo sozinho, nas asas da ave de aço. Por mais que minha irmã me dê dica de como essa dor, dói, acho que só vou entender de fato no dia que sentir. No dia que doer.

Não há nada que alivia mais o coração colorido de mãe do que sorriso de filho, pois para ver meu filho sorrir, hoje, fiz a receita que ele pediu, mesmo sendo gordurenta.

Fica aqui a receita de mac&cheese

Ingredientes

300 gramas de macarrão nhoquete

1 caixinha de creme de leite

1 pote de requeijão sabor cheddar

3 colheres de sopa de requeijão cremoso verdadeiro

50 gramas de parmesão ralado

Modo de preparo

Aqueça o forno a 180 graus.

Cozinhe o macarrão em água fervente e salgada com sal grosso no tempo indicado no pacote, retirando um minuto antes do final.

Em uma panela, aqueça o creme de leite e o queijo cheddar. Quando der o tempo, retire o macarrão da água e coloque nesse creme. Deixe a panela no fogo por dois minutos.

Retire do fogo e coloque o macarrão em um travessa refratária untada com manteiga. Cubra com parmesão e leve ao forno para gratinar.

Sirva em seguida e observe o sorriso no rosto do filho para o seu coração doer de felicidade.

Beijos,

Patricia

* Guia dos Curiosos

 

7 Comments

Gabis Miranda

Pati,
Eu demorei para entender porque o nosso coração dói tanto. Lembro dos primeiros dias, semanas de vida do Benjamin, que eu chorava em cima dele, sentindo uma dor no peito, algo que não conseguia explicar e que depois fui entender que era o amor crescendo. Ao mesmo tempo que ter filhos traz uma felicidade imensurável, junto vem essa dor no coração que nos acompanha e nos arrebenta em todos esses momentos que você menciona. Pai tem lá seus sentimentos e modo de sentir, mas acredito que não seja igual a nós – o que acho ótimo, até porque alguém tem que ter razão na hora de correr por conta de uma febre, na hora de pegar um merthiolate, porque a mãe, antes de qualquer decisão, precisa acolher, precisa aplacar a dor do filho com um abraço. Agora, tem uma coisa! Nossos filhos estão ganhando o mundo desde que saíram de nossas barrigas, nós que evitamos enxergar isso. Afinal, dói, embora seja também uma felicidade, saber que um dia eles voarão sem nós. Um beijo

Reply
Lele

Ô amiga… dói porque é assim! hehe
E não temos que nos acostumar com a dor, temos que senti-la e pronto!
Pq ja ja vem outra dor diferente.
beijo enorme e eita receita BOA essa do macarrão hein???
Lele

Reply
Patricia Cerqueira

Lelê,
Fica uma delícia e é daquelas receitas para dias corridos e filhos manhosos, com um pé no mau-humor, para acalmar o coração deles e o nosso.
beijos

Reply
Milene

Pat, coração de mãe é diferente por causa da fusão emocional. Se o bebê sente tudo oq a mãe sente, a mãe tb sente o q o bebê sente: o peito se enche de leite antes de o bebê acordar, a gente se sente irritada num ambiente barulhento ou carregado… E qdo é que deixamos de sentir oq o filho sente? Eu acho q nunca! Por isso nosso coração dói. E aí me lembrei de uma coisa muito brega: https://www.youtube.com/watch?v=ZWGsgYG1NUo

Beijos

Reply
Patricia Cerqueira

Hahaha. Adorei relembrar a música. E a fusão emocional é uma definição linda. Acho que nunca deixamos de sentir os filhos.
beijos

Reply
Antonio Dutra

Patricia te amei!!. Garanto que já fiz mais de 2000 molhos de tomate e te achei justo por uma receita sua de molho de tomate …que vou fazer.
Fala de dor de Mãe? Tenho duas filhas do primeiro casamento, formadas…..sempre fui ótimo pai presente amoroso mesmo depois de separado…minha filha q mora nos e.u. esteve aqui em manaus 15 dias … não veio me visitar….nem trouxe meu netinho neste pra eu conhecer…. e diz que é mormom….mais uma ilusão americana… mais uma mentira neste mundo. São 3 da manha aqui em manaus, acabei de fazer Capa de Filé no sal grosso em papel alumíniio no forno….não conhecia … ficou ótimo… Amanhã tenho que entregar quentinhas em algumas obras aqui n o condominio q moro.
sou de Sp. moro em manaus ha muito tempo. Obrigado por voce existir e compartilhar coisas boas. Sempre compartilhei meu conhecimento. Minha missão nesta vida é ensinar. sou técnico Eletrônico. tenho empresa aqui em manaus. Adoro
culinária , vinho, cinema e Blues. voce já assistiu A Festa de Babete? É a demonstração mais cristalina da relação Comida e espírito.
Bj pra voce…..vamos conversar mais.

Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *