Uma missiva sobre lombo e bisteca para a Diiirce

Minha querida Diiirce,

Como vai? Tudo bem com as crianças? Léo sarou de vez, né?! Que bom. Nic está grandão? E Lorena, continua linda? Faz tempo que não vejo essas crianças lindas. Também, cada uma morando em uma cidade diferente, uma lonjura sem fim e pra piorar obra pra tudo quanto é lado, vai deixando o caminho difícil de chegar. Bons tempos eram os de carroça e de cavalo, que a gente chegava rapidinho na casa dos amigos. Agora com essas modernidades de hoje, a gente não chega a lugar nenhum. Fica mais parado do que andando.

sobre lombo e bisteca

Menina, te escrevo para dizer que tô num desânimo da cozinha que dá dó. Tudo por causa de Lombo e Bisteca. Mas que carnes difíceis de dar ponto são essas, amiga? Já deixei marinando com água, com vinho, com vinagre, já assei, já fritei, já cozinhei na pressão. Nada deu certo. No final, ficaram tudo duras e secas, quando não ficavam sem gosto, sem tempero. Argh! Detesto carne sem gosto. Fico pra morrer com isso.

Não sei se é a qualidade da carne. Não existe mais carne fresca como nos tempos da fazenda! Ou será que errei no tempero ou no tempo de preparo. Hum, será que tenho de fazer na banha de porco?

Como você faz? Me ajuda. Você consegue deixar essas carnes macias? As vizinhas do lado de cá do rio nem sabem mais fazer essas carnes como a gente fazia nos tempos de fazenda. Bons tempos aqueles, né, não?

Queria tanto fazer um lombinho ou uma bistequinha no final de semana, pra acompanhar aquele tutuzinho com couve e arroz, mas já tentei tanto e deu tão errado que até desanimei.

Um beijo grande da amiga daqui do outro lado do rio e espero que essa missiva te encontre bem e com saúde,

Beijos,

Patrícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *