A felicidade do retorno

O blog ficou quase uma semana fora do ar. Sete dias. Longos sete dias. Longos porque não se sabia exatamente qual era o problema que o afetava.

A incerteza é desestabilizadora. Passei os dias tentando manter a frieza. Sabia que uma hora tudo iria se ajeitar, que no final tudo daria certo.

O problema é aguardar chegar no final. Eu não sou muito dada à frieza. Acho que ainda tenho, apesar dos meus 45 anos, um comportamento infantil de reagir com exagero de emoções quando a coisa sai do meu controle. leia mais

Filhos mudando de etapa escolar

Compactor publipost2016 é um ano de grandes mudanças escolares por aqui. Meus dois filhos trocam de etapa. O caçula vai para fundamental 2 (de sexto ao nono ano) e o mais velho começa no primeiro ano do ensino médio.

Tudo muda e não apenas o conteúdo a ser aprendido, que passa a ser ainda mais complexo, exigindo dos garotos mais concentração e atenção durante as aulas.

O tempo de permanência na escola aumenta para o caçula.

A escola muda para o mais velho.

Os professores são em maior número: mais de 11 professores. leia mais

Uma missiva sobre lombo e bisteca para a Diiirce

Minha querida Diiirce,

Como vai? Tudo bem com as crianças? Léo sarou de vez, né?! Que bom. Nic está grandão? E Lorena, continua linda? Faz tempo que não vejo essas crianças lindas. Também, cada uma morando em uma cidade diferente, uma lonjura sem fim e pra piorar obra pra tudo quanto é lado, vai deixando o caminho difícil de chegar. Bons tempos eram os de carroça e de cavalo, que a gente chegava rapidinho na casa dos amigos. Agora com essas modernidades de hoje, a gente não chega a lugar nenhum. Fica mais parado do que andando. leia mais

Mãe controladora x filho que não come

mãe e filho comendo

Como você é à mesa na hora de alimentar o bebê? É controladora? E seu bebê, é um filho que não come?

Sabia que o perfil das mães na hora da refeição influencia o paladar da criança? Eu sempre fui estressada e controladora. Sempre queria que os meninos comessem no meu ritmo rápido. Na quantidade que eu determinava e que ainda não fizessem sujeira no chão!

Não iria dar certo. Era tanto estresse da minha parte, que passei a missão adiante para o marido ou as babás.

Estudos já conseguiram definir quatro estilos de mães à mesa. Veja a tabela abaixo elaborada pelo nutrólogo doutor Carlos Nogueira: leia mais

A criança que come porcaria e a TV de 400.000 polegadas

Garoto-come-chocolateEstá certo você ter uma criança em casa que só come merda e ter uma TV de tela plana gigante? Isso é correto? Eu acho que não… Mas não vou dar merda para meus filhos e sentar no sofá e relaxar ouvindo meu sistema surround de som…

Essa frase foi dita pelo chef e ativista Jamie Oliver durante uma entrevista para o jornal o Estado de São Paulo.  Eu concordo plenamente com ele. Quantas são as famílias que gastam horrores na TV que parece um cinema e compram comida de péssima qualidade para os filhos? Famílias que são capazes de gastar 5 mil reais em uma TV e optam pela comida cheia de conservante porque acham que orgânicos são caros? leia mais

Cantinas de escolas ficam sem frituras e refrigerante

cantina-de-escolaUma boa notícia: cantinas de escolas de São Paulo estão limitando a compra e oferta de alimentos industrializados. Esse movimento deve ser aplaudido, incentivado e copiado. Isso porque muitas mães reclamam que tentam manter uma alimentação correta e saudável em casa, mas não recebem apoio na escola e reclamam que eles comem muito mais comida industrializada nos colégios do que em casa, como nuggets, além de muita carne processada, como salsicha, e têm acesso a refrigerante e doces. A escola faz parte da sociedade, claaaaro, e, portanto, ter o dever de escutar as demandas dos pais sobre a qualidade da comida oferecida às escolas, se esforçar cada vez para manter-se atualizada sobre nutrição e comida de boa qualidade e, por fim, dar aos alunos o que tem de melhor em relação à comida. leia mais

Sobre BLW e bebês que comem de tudo

Crédito da foto: Wild and Wisdom

Em outubro de 2009, quando publiquei o post abaixo (editado), nunca tinha ouvido falar na sigla BLW, mas já curtia a ideia de deixar as crianças comerem com as mãos, pegaram a própria comida, na quantidade que quisessem:

“A Lúcia, filha da minha querida amiga Ana e do Renato Kaufmann (do Diário Grávido), quando era pequenininha, devorava kappamakis, aqueles enrolados de arroz japonês, pepino e alga. Num vídeo postado pelo Renato, certa vez, ela comeu três desses enroladinhos. 
Além de fofo, o vídeo chamou a minha atenção também porque:
– crianças comem de tudo desde que a gente dê comidinhas para elas sem preconceito e frescura;
– crianças amam pegar a comida com a mão;
– crianças curtem comida japonesa porque dá para pegar com a mão, as porções são pequenas e colocadas em potinhos e é gostosa. Ou seja, é uma comida lúdica, não vem em prato fundo nem em quantidades industriais e, de quebra, é saudável.” leia mais

Refeição com tablete, a nova (e maldita) moda entre as crianças

A cena ao lado, registrada pela Folha de S.Paulo, é cada vez mais comum em restaurantes em São Paulo. Pequenos diante de tablets ligados em desenhos. Também é fácil ver crianças em restaurantes diante de videogames portáteis enquanto o prato de comida não chega à mesa. Os pequenos assistem e os adultos comem com tranquilidade.

Açúcar vicia?

A = Em entrevista à Folha de S.Paulo de ontem, o endocrinologista pediátrico Robert Lustig, que afirma que o açúcar é tão viciante quanto álcool e drogas, disse que devemos abolir o suco de frutas das dieta das crianças.

Diz ele na entrevista:

Qual a alimentação que os pais devem dar a seus filhos?
Crianças devem comer comida de verdade.

Mas isso inclui suco de fruta natural…
Não, suco de fruta, mesmo natural, não é comida de verdade. Deus fez suco de fruta? Não. Deus fez fruta. Qual é a diferença entre a fruta e o suco? Fibras. A fibra é a parte boa da fruta, e o suco, a má. Sempre que há frutose na natureza, há muita fibra –há uma exceção, o mel, mas este é policiado pelas abelhas. leia mais

Você é capaz de mudar seus hábitos alimentares por causa dos filhos?

A revista Época que está nas bancas traz um especial sobre a alimentação infantil. O recado nas entrelinhas dos textos é claro: os adultos são os responsáveis pelo o que as crianças pequenas comem em excesso ou deixam de comer. E toda vez que me deparo com os números da obesidade infantil fico bemmmm intrigada com certos pais . Como pode tal contradição: ao mesmo tempo que dizem se esmerar com a educação dos filhos são lenientes com a alimentação infantil. Saem do supermercado felizes carregando caixas e mais caixas de comida congelada, litros de refrigerantes, chocolates e balas nas mais variadas forma, cores e tamanhos, além, claro, de muitos pacotes de salgadinhos. Carregam quantidades para consumo quase diário dessas trasharias. leia mais