Sem dentes e com apetite

Há exatamente um ano Samuel tinha a boca com muitos dentes de leite, como prova a foto aqui. Dois molares haviam caído, mas ainda era possível comer milho cozido ou morder pão francês sem muitos malabarismos.

Hoje, a realidade bucal do menino-moleque é outra. Está assim ô:
Pois é! Tirei essa foto hoje, dia 4 de novembro.
A garagem bucal do garoto é grande, bem espaçosa. Por mais aflitivo que possa parecer, Samuel está se dando bem com os vazios dentários. O apetite continua de gavião. Mas ele tem feito alguns malabarismos para morder. Como adora pão francês, o jeito é abrir bem o bocão e morder, quase, com os caninos. Isso mesmo! Samu coloca o pão lá no fundão da boca para conseguir arrancar um naco. É estranho, mas ele descobriu sozinho como se virar com a garagem.
O milho cozido, que ele tanto adorava, foi abandonado. A maçã passou a ser cotada em fatias. “Mamãe, não dá para morder!”, disse ele outro dia quando lhe dei a fruta inteira. Coincidência ou não, desde que começou a troca dos dentes, ele passou a adorar canja!
Ele garante que não dói morder com os não-dentes da frente. O maior problema é que os pré-molares estão começando a ficar molengas também e, aí, é mesmo impossível quebrar qualquer alimento mais duro.
Enfim, os dentes foram caindo e nenhum drama alimentar surgiu, até porque não há muito o que fazer senão esperar os permanentes darem as caras. O cardárpio aqui em casa continua igual: sem ossobuco, claro (porque ninguém gosta), mas o milho cozido, vira e mexe, está na mesa, afinal o restante da família adora o cereal cozidinho, tal qual na praia!
beijos da Pati

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *