Pizza sem glúten e saudades das videolocadoras

pizza sem glúten
Pizza com massa de mandioca

Marido conseguiu fazer uma deliciosa pizza sem glúten a partir de uma receita que o lindo do Rodrigo Hilbert mostrou no programa Tempero de Família.

Mas, antes de dar a receita da pizza sem glúten, preciso fazer um pequeno desabafo: com o fim das videolocadoras, COMO-ESTÁ-DIFÍCIL-DE-ACHAR-FILMES-ANTIGOS-BONS-PARA-ASSISTIR.

Hastag #chateada

Muito chateada.

Li dias desses um texto da Vanessa Bárbara, no jornal Estadão de São Paulo, sobre o quanto ela adorava ficar garimpando os filmes nas locadoras. Ela lembrou algo que eu tinha esquecido: locadora era como pizzaria delivery, tinha em todo lugar. Com pizzaria (com a maravilhosa promoção alugue 7 sete filmes e ganhe uma pizza gigante grátis!), junto com locadora de videogame, em posto de combustível, em salão de beleza.

Me identifiquei muito com o texto da Vanessa. Também sinto muita saudade das vídeos locadoras. Aliás, eu trabalhei em uma quando tinha 17/18 anos. Ganhava pouco, mas assistia muitos filmes de graça.

Alugar várias “fitas” para passar o final de semana ou o feriado jogada no sofá ou na cama, assistindo Adeus, Lênin; Corra, Lola, Corra! Tampopo; entre tantos outros filmes que hoje são impossíveis de serem alugados por streaming, on-line.

locadoras de vídeos
Locadora 2001 cheia de clientes

Lembro até hoje do primeiro filme que alugamos quando o aparelho de vídeocassete chegou em casa, na década de 80.  Era Inferno Verde, com Omar Sharif. Uma aventura bacana. Vai tentar alugar esse filme on demand hoje? Não vai conseguir.
No século 21, tão tecnológico e cheio das facilidades on-line, esbarrei na falta de locadoras de vídeos há duas semanas quando precisei assistir a três filmes para um curso de Adolescência e Família: Caminhos e desafios, que estou fazendo na Sociedade Brasileira de Psicanálise.

Nenhum deles estão disponíveis no Netflix, Google Filmes, Telecine. No meu bairro não existe mais nenhuma locadora. Eram muitas. Éramos sócios de quatro locadoras, entre elas a famosa 2001 Locadora de Vídeo, que encerrou suas atividades em 2015 depois de 33 anos no mercado.

Pirataria e tristeza

Sem nenhuma opção, tivemos (eu e as outras participantes do grupo) de recorrer aos serviços da pirataria.  Uma vergonha, confesso. Mas foi a única opção que sobrou depois de ter vasculhado os serviços de streaming oficiais e não achei nada.

Há muito tempo venho reclamando da pífia oferta de filmes no Netflix, na Play Videos (no Google), no Telecine. Cobram caro pelo serviço e disponibilizam um catálogo fraco, cheio de filmes tenebrosos.

O futuro parece ainda mais desalentador, pois li uma triste notícia: haviam 14 mil locadoras de vídeo no país até 2005, segundo a União Brasileira de Vídeo e Games (UBVG). Em 2009, o número havia caído para 6 mil. Em 2015, eram menos de 2 mil. A UBVG previu que todas estarão extintas até 2017.

pizza sem glúten
Pizza com massa de mandioca e cobertura de queijo, abobrinha, tomate e alho cru

Deliciosos eram os finais de semana combinados com filmes e pizza. Agora nos resta a pizza!

A pizza caseira sem glúten

O desabafo chega ao fim e, finalmente, dá lugar para a receita da pizza sem glúten. A massa é feita de mandioca -ou aipim. Marido fez a pizza a partir da receita do Rodrigo Hilbert, modificando alguns detalhes e a cobertura. Ficou maravilhosa. Surpreendente. Vale a pena!

E não se assuste por achar que dá muito trabalho. Não dá. Aliás, se desse muito trabalho eu não compartilharia a receita.

pizza sem glúten
Detalhe da borda da pizza – cobertura gratinata

Vamos à receita da pizza sem glúten

Ingredientes

Para a massa

1 quilo de mandioca ou aipim

Manteiga

1 ovo

Azeite

Para o Recheio

O que você desejar

Aqui colocamos queijo, abobrinha, tomate, alho cru, parmesão e molho de tomate. O Rodrigo usou carne seca e cebola.

Modo de Preparo da Massa

Cozinhe a mandioca com sal até ela dissolver.

Retire os “barbantes”, aquela tira do meio da mandioca.

Volte a mandioca para a panela sem água, coloque a manteiga e mexa até misturar bem.

Experimente a massa. Salgue, se necessário.

Quando a mandioca estiver menos quente, acrescente o ovo, mexa até misturar bem.

Coloque um pouco da massa em uma forma antiaderente, previamente untada com azeite.

Vá colocando a massa devagar e “esticando”(ou alisando) até que fique com uma espessura fina. Unte as mãos com azeite para trabalhar a massa, caso contrário ela grudará nas mãos.

Leve a massa para assar por 25 minutos, em forno pré-aquecido a 180 graus.

Retire a massa do forno, coloque o molho de tomate e as coberturas. Deixe um dedo de borda.

Leve ao forno para derreter os queijos ou assar as coberturas.

Importante: essa quantidade de massa preenche duas assadeiras.

Beijos e por uma vida com algumas vídeo locadoras para alegrar nossos finais de semana acompanhados de pizza sem glúten

Patrícia

PS: Se você desejar uma massa de pizza caseira com glúten e também muito fácil de ser feita, precisa ler o meu texto Receita de Pizza Frita caseira, que escrevi no Disney Babble.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *