Quem cozinha para as crianças?

                                                    TED/James Duncan Davidson

“Os estudantes chamaram tomates de batatas, nomearam de pêra uma berinjela e de cebola, uma beterrada. As crianças não conhecem os vegetais porque elas não entram na cozinha. Elas não cozinham com suas famílias porque as famílias não cozinham.

“Eu anseio por sua ajuda para criar um movimento forte e sustentável para educar cada criança sobre o que são os alimentos e sobre comida, para inspirar as famílias a voltarem a cozinhar e para empoderar todas as pessoas a lutarem contra a obesidade.” leia mais

Você é normal?

Esse teste é rápido. Tem apenas cinco perguntas. Não precisa anotar as respostas num papel. Dá para responder mentalmente.

1) Você já perdeu a paciência com seu(s) filho(s) e gritou com ele durante alguma refeição?
*Sim
* Não

2) Você já disse ao filho(a) que ele(a) não poderia beber nada antes de comer, mas após apelos insistentes acabou liberando goles da bebida antes da primeira garfada?

*Sim

* Não

3) Você já soltou, durante alguma refeição, um incisivo “vai comer porque eu quero” depois de alguns minutos de relutância infantil em comer o que era oferecido?

*Sim

* Não

4) Já perdeu as estribeiras com a criança por causa da bagunça que ela fez à mesa durante a refeição?
*Sim

* Não

5) Já liberou porcaritos como refeição por total e absoluta preguiça de fazer uma comidinha mais saudável?
*Sim leia mais

Receita de bolo de chocolate

                                    Crédito da foto: casadachris.uol.com.br

Os bolos da minha amiga Chris Campos, do Casa da Chris, são irresistíveis. Já tive o privilégio de comer alguns nos tempos de faculdade. São de “se” matar de tão deliciosos. Esse da foto, com a receita abaixo, é para comer de joelhos e colocar as crianças para “rezar” junto. aqui tem mais bolos da Chris.

beijos da Pati

Bolo espetacular de brigadeiro (para pessoas realmente taradas por chocolate)

Ingredientes

Para a massa
2 xícaras (chá) de açúcar

3 colheres (sopa) de manteiga leia mais

Nuggets caseiro

Há muito tempo cortei os nuggets da lista de alimentos para comprar no supermercado. Tomei essa decisão depois de assistir um especial com o fofo Jamie Olivier (ela tá meio gordinho, né?!) explicando que os petiscos eram feitos com papa, pele e até ossos de frango moídos.

Opa, pensei, se lá na Inglaterra é assim, cá também não deve ser muito diferente. Na dúvida sobre o que vai no petisco além de carne de frango, parei de comprar.

Navegando pela blogosfera passei pelo Blog de Henrique Soares Freire e me deparei com o post abaixo, que reproduzo na íntegra: leia mais

Comidinhas judaicas com sabor de infância

O final de semana passado (!) foi de apresentação a novos sabores para os meninos. Finalmente conheci um lugar no bairro do Bom Retiro, pertinho da região central paulistana, que faz parte da infância do maridão. Não é um lugar badalado, de sair a toda hora na Vejinha ou no Guia da Folha. E acho que há razão para isso.  O Menorah é daqueles mercadinhos de bairro que só quem mora nas redondezas conhece. É um lugar que pertence à infância do maridão, um empório meio confuso, sem charme, nem requinte mas que vende delicinhas da cozinha judaica. Comprei os bagels (ou beigales) que maridão comia quando era garoto. Samuel provou e adorou o pão em formato de rosquinha salgada, lotada de gergelim (semente rica em cálcio) e um tanto borrachento. Comprei também o meu pão judaico predileto (e dos meninos também), o chalá (pronuncia-se ralá). Como não sou judia e maridão não é religioso, eu e os meninos comemos o chalá com manteiga. Hummmm, é uma delícia.

Também comprei uns doces (para mim e Miguel) que são tudo de deliciosos!!!!! Um recheado de damasco, um segundo com recheio de nozes e um terceiro recheado de maçã. A massa é diferente de tudo que eu havia comido até hoje. Miguel gostou mais da massa e menos dos recheios. Não deu nem tempo de fotografá-los. Sorry. Faço isso da próxima vez que passar parar por lá. Prometo.

E, por fim, trouxe também um pacote de vareniques, a deliciosa massa judaica que vou apresentar aos meninos. leia mais

Mais um ponto para o aleitamento materno

Antes que alguém diga “Ih, lá vem a chata da Patricia e sua defesa pelo aleitamento materno”, quero dizer que eu ia falar de leite, mas para os maiores. Nem tinha pensado em fazer post sobre o leite dos peitos.

Mas cá estava eu, quietinha, navegando por esse mundão virtual de meu Deus, procurando informações para um trabalho sobre anemia ferropriva, ferro e afins, quando… pum! me deparei com isso: “O leite também é outro interessante exemplo de biodisponibilidade, pois o materno e o de vaca apresentam-se com praticamente o mesmo teor de ferro, porém o materno mostra-se com alta absorção e o de vaca, em função dos teores de sais de cálcio e fósforo, com baixa biodisponibilidade”. leia mais

Porque risquei as gelatinas da lista de compras

Cresci me deliciando com os sabores e a consistência das gelatinas. Aliás, elas são lindas, coloridas, brilhantes, perfumadas, além de saborosas. Sobremesa com a cara do verão, pois é levinha.

Mas as gelatinas artificiais, de caixinha, andam em baixa aqui em casa. No post que fiz sobre Novos Hábitos para 2010, sugeri, inclusive, que elas fossem riscadas da lista de compras, algo que fiz.

E explico o motivo:

Minha desconfiança com elas começou quando o pediatra dos meninos pedia para “não dar muito porque têm corante demais”, dizia ele sem dar mais explicações. leia mais

Henrique Fogaça conta como fazer legumes deliciosos para crianças

Henrique Fogaça

Toda mãe sabe que, às vezes, é bem difícil fazer os pequenos comerem legumes. Se tem algo que eles gostam de encrencar é com as hortaliças, não é? Alguém já viu criança encrecar com bolacha recheada? Com bolo, cup cake? Então, como fazer para as crianças comerem legumes? Além de oferecer de diversas vezes e de variadas formas, que tal preparar de um jeito bem gostoso?

Segundo o chef Henrique Fogaça, do Sal Gastronomia, pai de João Corvo e Olívia, para que os legumes fiquem atrativos às crianças o segredo está no tempero. “Os legumes ficam deliciosos quando são cozidos no vapor, na medida certa, e temperados com azeite e sal no fim. A cenoura e o brócolis japonês se tornam quase doces”, afirma.  Na opinião do chef, o cozimento a vapor mantém os legumes e raízes (como a batata) com sabor mais apurado, além de conservar os nutrientes. “Mas cada legume tem seu tempo de cozimento”, alerta Fogaça. leia mais

Leitinho bom demais!

Mamadeira Iiamo via Bebê com Estilo

Os pediatras costumam indicar um complemento ao aleitamento materno com fórmulas de leite em pó, caso seja necessário.

É sempre bom ficar atenta ao leite indicado pelo médico. É um erro oferecer leite integral de vaca, de caixinha ou saquinho ou ainda o Ninho 1 + para bebês menores de um ano. Se todos observarem bem o rótulo das fórmulas vendidas nos supermercados, poderão ler as indicações de idade.

Mas o que eu não sabia é que, apesar de recomendado pelos pediatras, esses leites de fórmulas (além das farinhas e dos engrossantes) devem ser usados com moderação por, principalmente, poderem ser indutores de obesidade na vida adulta. leia mais