Nuggets de frango para uma vida de ritmo intenso

Tenho duas caixas de nuggets de frango industrializado no meu freezer. Quem me acompanha desde a época em que eu escrevia no Comer para Crescer, sabe que há muito tempo risquei os bolinhos ultraprocessados da minha lista de compras de supermercado, para tristeza dos meus filhos.

Nuggets de frangoBom, tinha cortado até que em 7 de junho, numa manhã linda e ensolarada, meu marido quebrou o tornozelo esquerdo e até hoje, 27 de julho, está impedido de pisar no chão (e assim ficará por mais três semanas). Ou seja, mais de 60 dias sem pisar no chão.

Minha vida (e principalmente a dele) virou de ponta cabeça! Tudo que necessito, desde aquele dia, é ajuda e a indústria alimentícia oferece essa ajuda.

Comida que sai do freezer para o forno de maneira prática é algo que passou a fazer parte do meu cotidiano, da lista do supermercado, com ou sem aditivos artificiais.  Sem drama. Sem culpa.

E foi assim que descubri com certa surpresa que os tais Chikenitos Sabor Tradicional são “Sem Conservadores Artificiais”. Viva! Parabéns para Seara. É o que seu sempre digo: se tem alguma empresa que consegue comida industrializada, ultraprocessada, com menos ingredientes na categoria dos “Antes”, então, todas conseguem.

Mas, nas letrinhas miúdas dos ingredientes, encontro “Estabilizantes Pirofosfato Dissódico e Tripolifosfato de sódio”.  Os estabilizantes “são usados para manter a aparência e condições físicas do alimento. Em outras palavras, mantém a estrutura do produto (o biscoito se mantém crocante, o bolo não murcha…). Os estabilizantes impedem a separação dos diferentes ingredientes de um produto e a maior parte deles é química.”

Bom, pra mim, ao fim e ao cabo, estabilizante conserva o alimento para que fique bonito e acaba sendo um tipo de conservante. Entendo que não dá para vender um produto com aparência feia. Mas também não compro pirofosfato em empório para fazer meus nuggets caseiros.

Nem dá para dizer que esses bolinhos são praticamente caseiros, como sugere uma das fotos da caixa do produto, que traz imagens de um pote de farinha de trigo, um peito de frango (provavelmente nem carne de peito de frango tem), duas fatias de pão para indicar a presença de farinha de rosca, uma cebola, um pote de farinha de milho e alguns dentes de alho.

Nuggets de frango

De qualquer forma, me surpreendi (para o bem) com o fato desses nuggets não terem glutamato monossódico, substância presente nos nuggets de todas as outras marcas (eu olhei um por um). Acho que retirar o onipresente glutamato monossódico já é um bom começo da indústria para oferecer comida de melhor qualidade.

Sobre o sabor: eu sou chata com sabor artificial, então não vou dar a minha opinião. Os filhos aprovaram e torcem para poderem comer esses bolinhos mais vezes. E eu torço para o marido voltar a andar com os dois pés no chão o mais rápido possível e dividir, novamente, comigo os afazeres da vida familiar para que os deliciosos nuggets da Kapim, do programa Socorro, Meu Filho Come Mal!, retornem à mesa.

Talvez alguém se pergunte: será que ela precisa mesmo comprar esse produto? No momento, sim! Preciso de comida prática, rápida, descomplicada e que os meninos aprovem. Sem drama. Sei o que estou comprando e oferecendo para a minha família.

A receita do nuggets caseiros e delicioso da Kapim você consegue dando um clique nesse link: Nuggets caseiros.

Beijos,

Patrícia

2 Comments

Milene

“Eu sei o que estou comprando”. Lacrou!
Por que a maoria acredita nas imagens e nas frases de impacto.
Torcendo p tudo entrar nos eixos logo.

Bjs

Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *