Meus filhos cozinham – assim como o pai deles

Meus filhos cozinham e isso traz um bom tanto de alegria, orgulho e paz pra mim.

Meus filhos cozinham

Alegria porque sinto que minha aposta em cozinhar em casa, fazer comida caseira, envolver a família nessa empreitada deu certo. Já são quase dez anos “militando” nessa causa. Às vezes, com mais ênfase. Às vezes, com menos intensidade, mas sempre com a certeza de que comida boa muda tudo.

Orgulho porque acreditei que eles seriam capazes de aprender a cozinhar e gostariam do ofício. E acertei. Levei os meninos para a cozinha quando ainda eram crianças pequenas. Incentivei para que eles aprendessem a manipular facas, fogo e farinhas. Eles gostaram e entenderam que cozinhar é muito legal, mas querer atenção porque, do contrário, lascas de dedo são retiradas junto com o fatiamento da cebola.

Paz porque agora saio de casa e eles vão cozinham. Não dependem mais 100% de mim para se alimentarem. Eles não ficam perdidos se a mamãe sai de casa e não deixa comida pronta. Muitas vezes, acontece de eu deixar comida pronta, sair e eles preparem outra coisa para comer. Acho o máximo da independência, libertação e exercício de autonomia.

Mas há um dado bastante relevante para os meninos gostarem de cozinhar. O pai deles gosta muito de cozinhar. Como exemplo – ou o Ideal do Ego – é tudo e mais um pouco nesta nossa vida de seres incompletos e cheios de furos e faltas, ter um pai envolvido e apaixonado com o ato de cozinhar fez a diferença para os dois.

O primeiro prato que o pai cozinhou, um macarrão à carbonara, continua sendo um dos favoritos dos meninos.

O que eles gostam de cozinhar?

Samuel ama fazer risoto. Já preparou para a namorada. Fez o maior sucesso! Um risoto que eu adoro fazer e eles curtem bastante é o Risoto de linguiça defumada e vinho tinto.

Miguel é o expert do mixe-maxi!

Quando a comida é boa, tudo fica melhor!

Beijos,

Patricia

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *