Dia do sorvete?

Li no Twitter que hoje é dia do sorvete!

(Hein?! Comemoração típica de país capitalista, porém muito aprazível!)

Deixando a chatice de lado, quero dizer que, na semana passada, andei fazendo com a família degustações de picolés de marcas menos conhecidas para um post (futuro) sobre sorvetes no palito. Como sou uma capitalista incorrigível vou aproveitar o dia para compartilhar os dois achados que foram aprovados pela família.

Picolé Diletto. Com o slogan La Felicità è un gelato, esse urso polar conquistou a família, principalmente nos sabores chocolate e vanilla e chocolate. Eu também gostei dos de frutas: morango e framboesa. Os meninos não curtiram, acharam azedos demais (meus filhos já têm o paladar brasileiro, ou seja, gostam de doce melado que chega até arder a língua).

Por que gostamos? O sabor é ótimo e a textura, formidável, aveludada. Muito próxima de mousse de chocolate. Coisa de louco! Uma curiosidade: o açúcar usado no sorvete vem da beterraba, menos comum no Brasil, mas é tão sacarose quanto o açúcar da cana. O picolé tem pouca caloria, mesmo o de chocolate. O site deles é engraçadinho. O Urso Polar, símbolo da marca, anda de motoca com capacete na cabeça. Fácil de cair nas graças da criançada.  Associado ao picolé do pessoal do “andar de cima”, o Diletto começa a se popularizar e chegar às padocas de bairros paulistanos da classe média (comprei em uma dessas), mas ainda não é tão fácil de achar, infelizmente! Tem na rede Dona Dêola, em São Paulo. Mas eles estão em projeto de expansão forte e têm grandes chances de cair nas graças do brasileiro porque eu acho que eles fazem um bom produto (que vem em uma embalagem charmosa!)

Não é baratinho se comparado com os picolés da massa (leia-se Nestlé etc). Custa, em média, R$ 6. Mas eu acho que é aquele tipo de comidinha que vale a pena pagar e compartilhar com meus filhos, justamente pelo momento de felicidade que o picolé proporcionou nesta família.

Melona: Outro picolé que a turma aprovou (mas já faz um tempinho) é o da marca Melona, o coreano que caiu nas graças do paulistano mesmo não sendo adoçicado. O carro chefe da marca é de sabor melão. Nunca provei. Mas eu (e Miguel) aprovamos o de morango (menos ácido e mais cremoso que o Diletto) e o de banana. O imbatível para nós dois, porém, é o “gelinho” sabor uva. Ui! Dilícia. É o tradicional gelinho ou raspadinha com suco de uva. Esse é doce, bem açucarado. Maridão e Samuel são básicos e resistentes a experimentações então ficam no de chocolate (não é picole, mas um tipo sanduíche com recheio de sorvete), que também é bemmmm bom. Pouco doce e com calorias na medida.

Por que gostamos? Assim como o Diletto, o sabor e a textura são deliciosos. Pouco açucarados e softs (macios), menos o gelinho de uva. Custam em média R$ 5 e também são capazes de trazer momentos de felicidade familiar.

beijos,

Patrícia

10 Comments

Camila

Amo os picolés da Diletto. Conheci em um restaurante e agora só peço ele. Realmente é caro, mas delicioso. Também curti muito o cardápio. Todos são suculentos, maravilhosos, sultuosos, esplêndidos….O de chocolate amargo é o melhor!

Reply
Comer para Crescer

Patricia,
Que delícia! Adorei a ideia para colocar em festa de criança deve fazer o maior sucesso!!!!

Reply
fernanda

aqui em casa amamos o sorvete de massa de yogurte do DILETO com geléia de goiaba TAEQ quente (é que esta é com bem pouco açúcar) fica uma delíciaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! nem sabia que tinha o dia do sorvete! rs

Reply
Roberta Lippi

Esse Diletto eu já provei e achei ótimo mesmo, mas esse Melone ainda não. Hummm, fiquei com vontade de experimentar esse picolé de melão!! Adorei a dica. bjs.

Reply
Paulo RT

Não conheço o Diletto ainda, mas fiquei muito curioso, os sabores são exatamente o que gostamos: chocolate, baunilha e framboesa.
Já o Melona, conheci com minha namorada quando passeávamos pela Liberdade atrás de cerâmicas e ingredientes japoneses que gostamos de fazer.
Tornou-se tradição. Só havia por lá e se tornou obrigatório. Depois tomou conta da cidade e não conseguimos dar uma volta no quarteirão sem ver uma geladeira deles. Sempre tomávamos o de melão, muito bom e é compreensível ser o carro chefe.
Mas depois que ficou fácil, perdeu a graça e nunca mais tomamos, nem quando vamos à Liberdade. Vai entender rs

Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *