A obesidade infantil é invisível aos olhos dos pais?

Eu e Mônica criamos o Comer para Crescer há quase três anos. Durante esses anos todos temos recebido dezenas de perguntas, dúvidas angustiadas de mães e pais preocupadas com o filho que come pouco, que é seletivo, que para de comer. Perguntas angustiadas de mães e pais preocupados com o filho que come demais e está muito acima peso recomendado são praticamente raras. A gente se pergunta qual a razão dessa discrepância entre mães de crianças que comem pouco com as mães de crianças obesas. leia mais

Uma criança obesa e uma bicicleta


No final de semana, vi uma cena no parque que cortou meu coração. Um garoto de pouco mais de 6 anos de idade -e com praticamente 3 vezes o peso que deveria ter- em cima de uma bicicleta. O que para a maioria das crianças é um momento de deleite, para aquele garotinho foram minutos de puro terror.

Ele estava assustadíssimo, morrendo de medo de cair porque o peso do corpo não lhe dava confiança para estar sentado ali. Ele não tinha estabilidade. O pai do garoto, ao lado dele, tentando incentivá-lo. leia mais

Campanha de Michelle Obama já provoca mudanças

Quando o poder público quer, a coisa acontece. Há dois anos a primeira-dama dos EUA Michelle Obama lançou a campanha Vamos nos mexer! nos jardins da Casa Branca, o que incluiu além de cenas de crianças e adultos rodando bambolês na cintura, a criação de uma horta orgânica. Cenas para a imprensa.

Nos bastidores da política, a campanha da primeira-dama americana foi mais ofensiva, dura, pesada, afinal o setor de alimentos em qualquer lugar do mundo, inclusive o Brasil, movimenta bilhões de dólares. Passados dois anos, ainda não é possível saber se os resultados na balança foram positivos. leia mais

A função social da refeição

Meu pai nasceu em uma família de muitos filhos. Eram 16 irmãos. Você consegue imaginar as refeições numa casa com ao menos 16 filhos, mais pais e agregados? Eu não conseguia. As lembranças do meu pai é que me ajudaram a imaginar o caos.

– Quando a comida era servida, você não podia bobear porque senão ficava sem, disse ele lembrando de como era o horário da refeição.

E pai continuou:

– A gente comia o que era servido e não reclamava de nada porque se parasse para argumentar um pouco, os outros irmãos raspavam as panelas. leia mais

Agora somente ovos caipiras e orgânicos

Não compro mais ovo comum. E nenhum cientista andou “maledizendo” o ovo nosso de cada dia. Dessa vez, esse povo que adora procurar pelo em ovo está quietinho. Aliás, acho bom que fiquem em silêncio porque ovo é tudo de bom e é a proteína que o Miguel come sem drama.

Bom, passei a achar que o único ovo bom mesmo é o caipira. Melhor ainda se for caipira e orgânico (mas esse custa um pequena fortuna). Voltando… Passei a acreditar nisso porque sou uma mulher altamente influenciável e depois que assisti a um vídeo da ABC News sobre a qualidade do ovo usado num lanche do McDonald´s, nos EUA. As galinhas, tadinhas, todas presas numa gaiola com mais cinco comadres – algumas vivas outras nem tanto. Nunca são soltas. Jamais enxergam a luz do dia. Vi uma imagem parecida em um dos livros de receita do Jamie Oliver, nem lembro mais qual, o que já tinha me motivado a comprar cada vez mais ovo caipira. Mas a cena das donas galinhas amontadas me chocou tanto que agora não abro mais exceção porque acredito que por aqui as condições devem ser bem parecidas. leia mais

Ainda sobre obesidade na infância

Ainda vou manter o assunto sobre obesidade infantil (o mesmo de ontem) mas por uma boa causa: me deparei com duas notícias sobre o assunto. Uma delas é o achado acadêmico do Children’s Hospital Boston, Harvard Medical School e o Harvard Pilgrim Healthcare. É uma pesquisa indicando que as curvas de crescimento que os pediatras usam para avaliar o desenvolvimento do bebê podem predizer o risco de a criança ficar obesa mais tarde.   Essa é uma boa notícia.

O texto publicado no Estadao.com  diz que… leia mais

Mitos e verdades sobre alimentação infantil

Já vou avisando que o post é longo e mau-humorado.

Distúrbios de alimentação: Mitos e verdades. Esse foi o tema da primeira palestra no café com blog, do Hospital Sabará. O pediatra José Luiz Setúbal começou a conversa contando que há dois ou três anos, durante palestra nos EUA, ouviu de um pediatra uma observação preocupante: as crianças nascidas nessa década correm o risco de serem as primeiras a viver menos que as de gerações anteriores por causa da obesidade.

E boa parte das crianças obesas ou com excesso de peso são vítimas de erro alimentar. VÍ-TI-MAS, sim, afinal não custa lembrar que quem compra os alimentos para nossos filhos somos nós, os adultos da relação. leia mais

Refrigerantes transformam adolescentes em Hulks?

Lembro que eu sempre ficava impressionada quando o David Banner ficava com raiva e ia ficando cada vez mais verde, raivoso e sem controle. Parece que os garotos de hoje estão se transformando em Hulks raivosos depois de alguns bons goles de Coca-Cola ou quaquer bebida cafeína que o valha.

Pesquisadores americanos relatam que os adolescentes que consomem mais de 14 latas de bebida com cafeína por semana (uma média de duas por dia) são extra violentos. Eles estudaram 1.878 crianças em 22 escolas públicas de Boston. Daqueles que bebiam 14 ou mais latas por semana, 43% carregava uma arma ou uma faca. Daqueles quem consumiam um refrigerante ou menos por semana, 23% do total também portava tais armas. leia mais

Poxa, Toddynho… (ATUALIZADO COM A RESPOSTA DA PEPSICO)

 Então, quem acompanha o blog há tempos sabe que me pego, faz anos, com os 43% das necessidades diárias de sódio para uma dieta de 1450 calorias para crianças entre 4 e 6 anos, que vinham estampados na Tabela de Necessidades Diárias do Toddynho.

Porque tanto sódio em apenas 200 ml de bebida? Não seria possível reduzir e manter a mesma qualidade?

Faz algumas semanas que Samuel chamou a minha atenção para o fato de o Toddynho ter reduzido a quantidade de sódio. “Mamãe, agora só tem 8%”, disse o garoto, todo animado. leia mais

Açúcar vicia?

A = Em entrevista à Folha de S.Paulo de ontem, o endocrinologista pediátrico Robert Lustig, que afirma que o açúcar é tão viciante quanto álcool e drogas, disse que devemos abolir o suco de frutas das dieta das crianças.

Diz ele na entrevista:

Qual a alimentação que os pais devem dar a seus filhos?
Crianças devem comer comida de verdade.

Mas isso inclui suco de fruta natural…
Não, suco de fruta, mesmo natural, não é comida de verdade. Deus fez suco de fruta? Não. Deus fez fruta. Qual é a diferença entre a fruta e o suco? Fibras. A fibra é a parte boa da fruta, e o suco, a má. Sempre que há frutose na natureza, há muita fibra –há uma exceção, o mel, mas este é policiado pelas abelhas. leia mais